Orquídea Cattleya walkeriana.

Você sabe por que a Orquídea Cattleya walkeriana se chama assim, qual a origem do nome, quais os tipos dela e seus outros nomes? Nesse artigo iremos conversar sobre isso e dar mais algumas informações sobre suas características e de como cuidar.

Cattleya walkeriana gardner Patricia Loboda
Cattleya walkeriana gardner caerulea Patricia Loboda

O gênero Cattleya foi proposto por John Lindley em Collectanea Botanica 7: t. 33, em 1821, com nome em homenagem a Willian Cattley orquidófilo inglês que teve seu nome latinizado para Guglielmus Cattleyus.

A Cattleya walkeriana foi descoberta na natureza, vegetando em galhos de árvores, às margens de um riacho afluente do Rio São Francisco, no estado de Minas Gerais. E isso no ano de 1839, pelo médico e botânico George Gardner, .

No entanto, ele só a registrou em 1843 com o sobrenome de seu assistente e colega Edward Walker, que o acompanhou na expedição feita por eles pelo Brasil por 5 anos (1835 – 1841).

Portanto, o nome dessa apaixonante Cattleya tem origem na homenagem feita por George Gardner ao seu amigo Edward Walker.

A Cattleya walkeriana é uma espécie de orquídea brasileira, de hábito de crescimento epífita ou rupícola. É uma orquídea original do habitat do cerrado, de fácil cultivo, muito rústica e resistente.

Na natureza ela ainda pode ser encontrada nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.

Habita regiões sempre próximas às águas de lagos, rios ou pântanos, em altitudes de 700 a 1000 metros.

O brasileiro João Barbosa Rodrigues (1842-1909), engenheiro, naturalista e botânico descreveu, em 1877, a Cattleya princeps.

Considerado um dos maiores botânicos brasileiros de seu tempo, ele é conhecido até hoje pelo seu trabalho sobre orquídeas e palmeiras amazônicas. E, graças aos seus méritos científicos, dirigiu por quase duas décadas o Jardim Botânico do Rio de Janeiro. 

Atualmente, a Cattleya princeps é considerada uma variedade da Cattleya walkeriana.

Orquídea Cattleya walkeriana: os tipos ou subespécies. Origem dos nomes populares.

Conforme vimos acima, consequentemente, temos duas principais subespécies ou dois tipos de Cattleya walkeriana:

A sub walkeriana Gardner, que tem seu principal período de florescimento entre os meses de abril e junho, e a a sub princeps, que floresce de setembro a novembro.

As características vegetativas, o tipo e a época de floração são o que as diferenciam, sendo que isso se origina em função das condições nos habitats.

Primeiramente, as flores da Cattleya walkeriana gardner nascem de pseudobulbo floral, atrofiado e sem folhas, sendo que, às vezes, pode surgir de pseudobulbo folhado. A Cattleya walkeriana sub princeps, no entanto, floresce a partir de hastes nos pseudobulbos com folhas.

Em segundo lugar, e mais importante, a época de floração da Cattleya walkeriana sub princeps ocorre no começo da primavera, sendo que, por outro lado, o pico de floração da Cattleya walkeriana Gardner ocorre no mês de maio.

A Orquídea Cattleya walkeriana gardner possui por vários nomes populares, como por exemplo: Cattleya gardneriana, Flor das noivas, Flor de Maria, Flor das mães e Flor do inverno.

Orquídea Cattleya walkeriana gardner tipo, cor lilás
Cattleya walkeriana “Checo – LM” (Ilusão A15 x Joel da Silveira nativa), em sua primeira floração.

Características da walkeriana

Agora que você já aprendeu um pouco sobre a origem e os nomes da cattleya walkeriana, está na hora de entender um pouco mais sobre as suas característica e como cultivá-la.

Como dissemos, essa é uma orquídea brasileira, por isso, se você mora em algum dos estados em que ela é natural, isso pode facilitar muito o seu cultivo.

No entanto, mesmo que não more no Brasil, saiba que ela é uma orquídea muito rústica e resistente, que se adapta muito bem em todas as regiões.

Dessa forma, colecionadores e cultivadores do mundo inteiro, das mais diversas regiões, conseguem cuidar dessa orquídea.

Além disso, por seu porte ser considerado pequeno, é uma orquídea que não exige muito espaço e se adapta muito bem no cultivo em casas e apartamentos. E isso, logicamente, desde que o local ofereça boas condições de umidade e iluminação.

É uma espécie de orquídea que é muito desejada por ter flores grandes em relação ao tamanho da planta. Além do que, também chama muito a atenção pela variedade de cores, entre as quais a cor tipo (lilás), alba (branca), semialba (branco com labelo lilás), caerulea (Azulado), flamea, labeloide e vinicolor, entre outras.

Suas flores, além de grandes em relação ao tamanho da planta e terem muitas cores, tem como atrativo mais marcantes a sua fragrância peculiar, que lembra o aroma de canela. Além do que, suas flores são duráveis, podendo enfeitar a casa por quase 30 dias.

Algumas informações sobre o cultivo da Cattleya walkeriana.

Essa é uma espécie que é ávida por luz, desde que a luz seja “filtrada”, de preferência sombreamento de 50%. No entanto, evite o sol direto, especialmente entre as 11h00 e 15h00.

Outrossim, ela gosta de variação de temperatura entre o dia e a noite. O ideal é que a temperatura média fique entre 25ºC e 35ºC durante o dia e entre 20ºC e 30ºC à noite.

Outra característica de cultivo muito importante é que ela gosta de umidade, principalmente de locais com boa umidade relativa do ar. Entretanto, não tolera ficar com as raízes molhadas por longos períodos.

Para evitar que isso ocorra, utilize vasos e substrato de secagem rápida. Molhe abundantemente, mas deixe as raízes secarem antes de regar novamente.

Você gostou de saber sobre a Cattleya walkeriana, origem do nome e os tipos?

Então, aproveite e leia outros artigos sobre essa apaixonante orquídea ou sobre outros assuntos em TUDO SOBRE ORQUÍDEAS.

Cultive orquídeas e semeie amizades. Orquidário Odara Orchids.
Grande Abraço!